Valorização profissional: o que eu tenho a ver com isso?

Valorização

Valorização profissional: o que eu tenho a ver com isso?

Permanentemente estamos em luta por melhores condições de trabalho, salários e pisos do tamanho da nossa importância, além do necessário reconhecimento da nossa atividade. Agora, é importante refletir sobre o que cada um está fazendo pela sua valorização
profissional.
Esse é um pensamento que pode parecer individualista, mas não é. Será muito difícil alcançarmos a valorização que queremos se cada trabalhador não reconhecer em si e em seus colegas a importância das nossas disputas. É preciso partir de uma avaliação individual para daí contribuirmos com o coletivo.
Estar atento às reivindicações que estão em pauta, dedicar algum tempo para questionar os colegas sobre as condições de trabalho, formar uma consciência sobre as nossas relações de trabalho são pontos de partida para entendermos o que queremos e quais os
interesses dos patrões.
Por livre decisão teremos muito pouco das instituições de ensino. Nesse “mercado” da educação existe uma lógica de que trabalhador é custo e aluno é receita. Ou seja, devem diminuir custos e ampliar os lucros. Não podemos aceitar isso passivamente. Precisamos estar conscientes do nosso valor e da nossa força de pertencer a um grupo. Associar-se ao sindicato, encontrar formas ativas de participação, envolver os colegas são posturas individuais que trazem um benefício enorme para todos os Técnicos Administrativos.

PERTENCER A UMA CATEGORIA

Definir a categoria dos metalúrgicos, dos professores, dos médicos, dos advogados é muito simples. O trabalho realizado por cada uma dessas categorias ou é o mesmo, ou é muito semelhante. Já os Técnicos Administrativos tem funções muito amplas e diversas.
Somos vigilantes, auxiliares, porteiros, secretárias, coordenadores, trabalhamos no setor da higienização, somos contadores, administradores, orientadores, bibliotecárias etc. O que nos unifica é o nosso sindicato e o setor em que atuamos: o ensino privado.
Se isso, a princípio, pode ser visto como uma dificuldade, também pode ser uma imensa oportunidade. Estamos em todos os departamentos e estruturas das instituições de ensino, portanto a nossa capacidade de influir nos locais de trabalho é maior. É preciso aproveitar essa experiência que vem da diversidade dos nossos colegas.Saber que fazemos parte do mesmo time e temos interesses comuns. Quando o aluno chega à escola, ele cumprimenta o seu João da portaria, recebe um sorriso da dona Lúcia da limpeza, confere os horários com o pessoal da secretaria, avisa a Laura da tesouraria que o pai já pagou o boleto, repara que o Jorge da manutenção já consertou a fechadura da sala 201 e assim vai passando por essa turma tão diferente e ao mesmo tempo única: os Técnicos Administrativos.

Comentários fechados.