Negociação salarial trava no reajuste

Quarta rodada de negociações é marcada por impasses sobre questões financeiras

O grande impasse que está travando as negociações entre o Sintae/RS e demais sindicatos de técnicos e administrativos com o Sinepe/RS (sindicato patronal) é o reajuste salarial.
Os dirigentes das instituições de ensino estão se recusando a recompor o índice integral do INPC (11,08% de inflação) nos salarios. Chegaram a propor um parcelamento desse valor.
Confira abaixo a síntese do que ocorreu nessa última reunião nas duas câmaras de negociação;

Educação Básica

A expectativa do Coletivo de Campanha era de que o INPC seria pago integralmente já em 1º de março, mas o Sinepe/RS orientou às instituições o adiantamento de apenas 6%. De acordo com os técnicos e administrativos, o parcelamento do índice poderia ter sido cogitado se houvessem outros avanços na negociação, como vale-transporte ou vale-alimentação.
Esses benefícios começaram a ser discutidos na Campanha Salarial 2015 e estavam previstos avanços para este ano, mas com o atual cenário econômico o Sinepe/RS solicitou que o debate seja adiado para 2017. “Sem avanços no vale-alimentação e transporte, não temos como apresentar para a categoria um parcelamento do INPC. É incogitável”, afirma o dirigente do Sintae/RS, Luiz Gambim.
A proposta final dos técnicos e administrativos posta na mesa para o Sinepe/RS é de adiar o vale-alimentação desde que não ocorra parcelamento do INPC.

site2

Foto: Carbono Comunicação

Educação Superior

Na câmara da Educação Superior, a quarta rodada retomou o assunto do reajuste, já debatido anteriormente. Os representantes dos sindicatos dos técnicos e administrativos defenderam a posição de que um reajuste parcelado não é aceitável.
“Não podemos, de forma alguma, fortalecer a ideia de que, em épocas de crise, sempre sobre para o trabalhador. Lutamos pela não diminuição da massa salarial, por isso, é muito difícil que este lado da mesa aceite o parcelamento do INPC. Cada mês de salário não reajustado significará para o trabalhador uma perda de massa salarial. Precisamos recompor o INPC a partir de março”, defendeu Celso Woyciechowski.

Após debatidos os pontos relacionados à questão econômica, foram abordadas a licença remunerada no final do ano, mudança do fator de desconto das mensalidades e a data comemorativa ao dia do trabalhador em educação.

Próxima rodada - A quinta rodada de negociações da Campanha Salarial 2016 está agendada para a próxima terça-feira (12/4), a partir das 15h30min, na sede do Sinepe/RS.

Comentários fechados.