Trabalhadores ocupam prédio da gerência do INSS em Porto Alegre

O Ministério da Previdência foi extinto e dividido entre os ministérios da Fazenda e do Desenvolvimento Social e Agrário. O objetivo da ocupação é denunciar para a classe trabalhadora e à sociedade o desmonte que já aconteceu, e exigir de Temer a volta imediata do ministério, a exemplo do que ocorreu com o Ministério da Cultura após várias ocupações em todo o Brasil, e alertar para a resistência aos ataques que virão aos direitos sociais e trabalhistas.

No prédio ocupado eram realizados apenas serviços internos do INSS, sem atendimento ao público. Desta forma, nenhum trabalhador foi prejudicado e as pessoas estão sendo atendidas normalmente nas agências do INSS espalhadas pela cidade.
A Frente não é vinculada a nenhuma central sindical, conta com a participação de trabalhadores de diversas entidades sindicais, como dos metalúrgicos, sapateiros, agricultores, professores, bancários e alimentação e administração escolar, dentre outras.
Todo o apoio da CUT-RS

Quem passa pelo local está recebendo um panfleto da CUT-RS. O texto publica uma carta aberta sob o título “Cadê o Ministério da Previdência Social?”. A entidade denuncia os ataques dos golpistas aos direitos de trabalhadores e aposentados e cobra a volta do ministério.

INSS-2.indd

Nesse material, a CUT-RS também manifesta o seu apoio à ocupação e à Frente Gaúcha em Defesa da Previdência Social e define esse desmonte como “inaceitável”.

O panfleto tem sido distribuído às pessoas que passam nas calçadas e aos motoristas dos veículos que param nas sinaleiras da esquina da Avenida Borges de Medeiros com a Rua Jerônimo Coelho.

O presidente da CUT-RS, Claudir Nespolo, destacou o apoio da entidade ao movimento. “Emprestamos apoio a todo movimento social que objetive o retorno do Ministério da Previdência Social e nenhum direito previdenciário a menos.”

INSS

Audiência pública debate Previdência na próxima segunda-feira

Na próxima segunda-feira (20), às 14h, na Casa do Gaúcho, acontece a audiência pública o senador Paulo Paim (PT-RS) sobre a reforma da previdência, no Centro de Eventos Casa do Gaúcho (Rua Otávio Francisco Caruso da Rocha, 301), no Parque da Harmonia, em Porto Alegre. Após, será realizada uma assembleia dos trabalhadores gaúchos.

A audiência será promovida pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado. presidida por Paim, com a participação da CUT, CTB, UGT e NCST, que decidiram unir esforços no Rio Grande do Sul na luta contra a reforma da previdência, o fim da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e a extinção da Justiça do Trabalho. Trata-se de três ameaças concretas do governo ilegítimo, golpista e interino de Temer contra os direitos sociais e trabalhistas do povo brasileiro.

Para o presidente da CUT-RS, o momento exige resistência, unidade e mobilização para evitar retrocessos como o desmonte da Previdência e da CLT e o fim da Justiça do Trabalho, que afetam diretamente os direitos e as conquistas dos trabalhadores.

 

Fonte: CUT-RS

Comentários fechados.